IB03.47

O que não se pode confundir com burrice  


Antes de relacionarmos os sinais de burrice, seria interessante discernir o que não é burrice.

·                    O nome idiotia, deixemos aos quadros clínicos (IB03.48).

·                    Idiotia útil também não é sinal obrigatório de burrice. Utilizamos o conceito de inocência definido aqui.

·                    O vocábulo ignorante, que seja aquele que ignora. Aquele que não sabe, seja porque não estudou, não foi informado ou esqueceu.

·                    O burro difere do ignorante porque não lhe faltaram informações, mas porque sofre de imunização cognitiva (não quer e não consegue se atualizar).

E a burrice, em si, não deve ser reconhecida como atributo pejorativo, como sinal de inferioridade. A imunização cognitiva é processo em todos que aprenderam algo e têm cultura. É característica humana, só que faz parte das desvirtudes e, por isto, não a percebemos em nós mesmos, como a inveja e outras características socialmente malvistas. Mais em SP06.02ª (temos naturalmente dificuldades em identificar nossas falhas, nossos enganos, nossas desvirtudes, nossas limitações e as influências que sofremos).

Insisto. É um despropósito classificar alguém como burro, apenas um ato de arrogância. Estudamos os sinais de burrice visando reconhecer a nossa própria imunização cognitiva e a relação com os interesses e programas sociais emburrecedores. Para que possamos reagir. E só.

 

Continua aqui.

Voltar à relação de reflexões.