Início

Cursos

Textos

DVDs

Obras

Produtos

YouTube

Como chegar

Quem somos

Contato

Inocência útil 16

Partidos e governos ecológicos? E cínicos!


Há políticos e partidos que se reconhecem envolvidos com a causa ecológica.

No caso, pode considerar Suécia, Alemanha, Macron ou qualquer partido ou político que demonstre interesse com a Ecologia, com o meio-ambiente, com as espécies em extinção, com a sustentabilidade ou com os biomas em geral.

Só não usa Greta ou outro ativista. Ativistas têm relação diferente dos políticos com esta causa.

Pesquise. Qual o consumo de água de uma vida? Todo dia alguém tem de limpar prédios, veículos, ruas e calçadas que você vai passar, lavar louças, alimentos e preparar produtos que você vai comprar, aguar algumas das hortas e plantações que estão produzindo o que você vai consumir em alguns dias ou meses. No Brasil se calcula algo em torno de 200 l por dia. Quer dizer que, em 75 anos (expectativa de vida de um brasileiro), uma pessoa é responsável pelo consumo de mais de cinco milhões de litros d’água. Isto dá quantos litros para a população brasileira por ano?

Pesquise. Quando uma pessoa produz de lixo por ida? Calcule por uma vida.

Pesquise. Colapso ecológico.

Pesquise. Evolução da população mundial.

Calcule o quanto de lixo se produz e de água que se consome a mais por ano, só porque a população aumentou em 800 milhões de pessoas no último ano.

Então. Você vai perceber que nosso planeta está entrando em colapso. Você já deve ter visto especialistas afirmando que estamos num estágio irreversível, que o planeta já colapsou, que a quantidade de peixes nos oceanos já está drasticamente menor assim como o de animais silvestres em seus habitats. Mas a população continua aumentando.

Há três atitudes recomendadas para lidar com o colapso ecológico mundial. Duas paliativas, que não resolverão o problema, e uma única que tem o potencial de estancá-lo.

1.   Que as pessoas explorem menos a natureza, que criem outros mecanismos para sobreviverem, como reciclagem de água. E todos somos convocados a promover a sustentabilidade.

2.   Que reduzam a produção de lixo e poluição, como o protocolo de Kyoto. E todos somos convocados à causa reciclagem.

3.   Que reduzam a população na terra. E nenhum país ou político abarca esta causa!!!

Entenda: sem reduzir a população, vamos continuar aumentando a exploração ao planeta, produzindo lixo e poluição, mesmo que a tal sustentabilidade e outros recursos os reduzam. Uma hora isto vai explodir, a conta vai ser cobrada. Bom, talvez essa hora já tenha passado.

Reflexão. Por outro lado, sabemos que é a força jovem que sustenta os governos. Apenas com o aumento do tempo de vida da população mundial vários governos já estão com dificuldades em manter seus custos sociais e investem em aumento populacional, usando até imigração. Ou não. Não é um acidente, percebemos que os suprarricos há muito tempo financiam as mídias para comprometer o poderio dos países, eles praticamente estão sem verbas e poderes – verbas e poderes estão com os suprarricos, como já sabemos.

Governos, políticos e partidos levantam bandeiras verdes. Mas não atacam a causa: excesso populacional. Hipocrisia? Apenas mais um cenário circense para dividir e controlar o povo? Parte do programa de implantação de uma ditadura?

Pesquise. Revolta social na Suécia. https://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1609.

Pesquise. Revolta social no Chile, na França, na Espanha, alguns países sul americanos e outros africanos. Onde ainda não está instalada alguma ditadura, há cada vez mais a possibilidade de revoltas sociais.

Ora, sabemos que a solução do problema ecológico passa obrigatoriamente pela redução do número de habitantes. E sabemos que todos os países precisam de mais membros para produzirem fortunas para sustentar os suprarricos, reis, presidentes, ministros do supremo, governantes, pessoas de capital e poder. Ou seja, nenhum político defende, de fato, a redução populacional, não há políticos que defendam a redução da natalidade. No máximo, o aborto. A não ser que o suprarrico aumente seu capital e poder, como no projeto chinês. Mas aqui no Ocidente nenhum verdinho fala disso.

Reflexão. Muçulmanos na Europa. Como a população original europeia reduziu o número de filhos, os políticos, sob o interesse dos suprarricos, cada vez mais fortalecem a migração de pobres e mão de obra. Na França na rodada do século, um casal branco francês tinha em média 1,2 filhos. Casais muçulmanos, em média oito. Ou você acha que o aumento de muçulmanos na Europa não seria do interesse dos políticos e suprarricos, seria apenas um caso de humanitarismo? Enquanto as pessoas e os países europeus empobrecem, os supraempresários aumentam de capital e poder!

O meu partido (ou político) é envolvido com a causa ecológica? Hipocrisia e Foggy News, provavelmente discurso de inocente útil. Todo político sabe que não pode abraçar a causa ecológica no seu núcleo (redução da população), apenas pode se esforçar em caberem mais pessoas no planeta (apoio a reservas florestas, a projetos de sustentabilidade e de reciclagem, coisas assim).  

Especulação. As revoltas sociais são apenas em países democráticos, que têm eleições aparentemente livres. Nos quais há pessoas ainda com algum poder ou patrimônio. Em países com ditadura instalada, o povo, sem valores e armas, nada pode fazer contra qualquer atitude de seus governantes. Como a China, acusada de extração de órgão, assassinato de opositores, controle de informações pessoais e outras atrocidades. Ou a Arábia Saudita e reinados e ditaduras de direita e esquerda na África, em que o rei e os governantes confundem o público com o privado e eliminam seus concorrentes. Nestes países os interesses dos empresários e governantes não têm mecanismos de controle.

Apenas países ditatoriais possuem, hoje em dia, potencial para reduzir a população quando for do interesse dos suprarricos. Pela força, claro. Temo que caminhemos para ditaduras e por este dia.

 

Continua em Inocência Útil 07

 


IBTED Cursos, Vídeos, Produtos, Editora e Terapias

Página inicial do grupo de estudos

Site do IBTED

Contato: (21) 99187-3020 (OI + Whatsapp) - [email protected]

Sociais: facebook/ibted   -  facebook/robertohaddad.ibted