Início

Cursos

Textos

DVDs

Obras

Produtos

YouTube

Como chegar

Quem somos

Contato

Enganos e Lendas

Por que o Pai da Medicina é Hipócrates e não um chinês?


Aprendemos que Hipócrates é o pai da Medicina e que viveu no século IV a.C. Mas os livros de medicina chinesa falam em médicos chineses que praticavam a Medicina há cinco mil anos ou mais. Não seria hora de corrigir o erro e dar o crédito a quem de direito merece?

Por exemplo. O sacerdote egípcio Ankmahor é chamado de médico nos livros de reflexologia podal. Aquele em cuja tumba foi encontrada uma gravura de massagem nos pés e nas mãos (escravos massageando egípcios) e que até agora é a mais antiga referência de cunho terapêutico encontrada. Afinal, ele deve receber o título de sacerdote, de médico ou ambos? E os sacerdotes chineses? E nossos curandeiros indígenas?

Essa questão reverte à outra: quais as diferenças entre Medicina e Curanderismo?

Sabemos que Hipócrates foi escolhido para ser o pai da Medicina, pena que poucos saibam por quê. Na Grécia até a época de Hipócrates e na China até o século XIII D.C., todas as patologias eram associadas a entidades: seres malignos seriam responsáveis pelas doenças. Por isto apenas sacerdotes, curandeiros e pajés tratavam doentes: procuravam, com seus recursos, exorcizar um demônio, uma entidade maligna,supostamente responsável pelo mal - sintoma ou doença.

Como o demônio do Fogo no caso da febre, o demônio do Vento no caso da TPM, o demônio da Terra no caso da hanseníase e assim por diante. Antes de Hipócrates, os males eram associados a entidades malignas. Uma pessoa com febre era tida como uma pessoa incorporada pelo demônio do Fogo, assim apenas pajés, curandeiros e sacerdotes se envolviam com a cura.

É isto que difere medicina antiga de curandeirismo: uma procura equilibrar as energias e a outra técnica procura exorcizar entidades malignas. Claro, banhos diminuem a temperatura e assim parecem que expulsam o demônio do Fogo.

Quando, na história, apareceu um técnico que tratava patologias e quadros clínicos sem ser sacerdote ou pajé, ou seja, sem fazer alusão a entidades malignas? Foi na Grécia, no século IV a.C. e o primeiro a escrever sobre isto foi Hipócrates, o que lhe rendeu o título de Pai da Medicina.

Assim, para ser chamado de médico, é necessário não confundir técnicas de exorcismo e equivalentes com técnicas de cura, mesmo que os objetivos sejam os mesmos: curar um sintoma.  É obrigatório ver um mal ou patologia, pelo menos uma energia negativa e não mais uma entidade maligna incorporada para receber o título de médico. Deveria ser assim. Mas não é.

Nos textos atuais da MTC (Medicina Tradicional Chinesa) as entidades malignas - vento, calor, fleuma, frio e outras - são tratadas agora como agressores. Assim o fato de terem sido considerados espíritos malignos fica abafado. Tudo bem, mas aí os curandeiros antigos passam a ser chamados incorretamente de médicos. Sem malícia? Sei... Sacerdotes, aqueles que assessoravam e tratavam do imperador e da corte, também são chamados de médicos na atualidade. E as faculdades de Medicina chinesas seriam em alguma ala do Castelo. Faculdade, curso ou estabelecimento de Medicina com mais de 2500 anos, a História ainda não registrou. Chego à conclusão que deviam ser lá pelas bancas do castelo de Grayscull ou talvez ao lado de Hogwarts. 

O primeiro jogador de futebol não foi o homem primitivo que chutou uma fruta redonda, para ser jogador tem de ter um outro tipo de envolvimento com a bola. O primeiro fisioterapeuta não foi o primeiro homem a ajudar outro a andar porque estava com dores nos joelhos! O primeiro guia turístico não foi o primeiro homem a fazer um trajeto que ele já conhecia e os outros não. Para receber um título, é necessário um certo nível de conhecimento ou prática, não apenas se envolver com o mesmo objeto. Ou todo mundo que saber nadar é um professor de Educação Física com especialidade em natação?

A quem interessa esse pequeno deslize?

 

 

Voltar à relação de textos Enganos e Lendas da MTC.

Texto Introdução aos textos, cursos e produtos IBTED e Roberto Haddad. Para você se localizar com mais facilidade. 

Site do IBTED. Sobre cursos, textos, vídeos, produtos e outras informações.

Contato: contato.ibted@gmail.com.

Para receber textos sobre terapias alternativas: curta  IBTED Terapias no facebook (facebook/ibted).

Para receber textos sobre Fisiologia ou da pasta Não é bem Assim...: curta Roberto Haddad no facebook (facebook/robertohaddad.ibted).

Peça para ser amigo de Roberto Haddad no facebook (facebook/carlosroberto.serraohaddad).

 

IBTED Cursos, Produtos, Editora e Terapias

Contato: (21) 4126-5770 (TIM fixo) - (21) 99187-3020 (OI + Whatsapp) - 98250-0538 (TIM)

contato.ibted@gmail.com  -  facebook/ibted   -  facebook/robertohaddad.ibted