Início

Cursos

Textos

DVDs

Obras

Produtos

YouTube

Como chegar

Quem somos

Contato

 

Reflexões para a Saúde

Conceito de Depressão

 


 

Tenho regularmente feito críticas à Medicina e às Alternativas. Entre os quadros que mais me surpreendo pela superficialidade com que tratam está a depressão.

Primeiro não há nem consenso no que seja depressão. É o que veremos neste texto. Em segundo lugar, há mais de um tipo de depressão, inclusive uma boa para a saúde, assunto de outros textos.

O que seria depressão?

·        Tudo que seja ou contenha sofrimento psicológico costuma ser sinal de depressão: tristeza, angústia, ansiedade e estresse são regularmente confundidos ou relacionados com depressão. Não há esforço em diferenciá-los.

·        Esgotamento físico ou emocional, cobrança e autocobrança também costumam ser confundidos com depressão.

·        Falta de objetivos específicos e seu consequente marasmo também. Mesmo quando a pessoa está apenas descansando por ter alcançado algum de seus objetivos, ou mesmo curtindo esse objetivo, a falta de determinação e disposição (ânsia) também costuma ser indicativo de depressão. 

·        Baixa imunológica e falta de nutrientes (anemia) também costumam ser confundidas com depressão.

·        Tudo que possa gerar a sensação de cansaço ou a de tristeza e que ainda não foi comentado, também é confundido com depressão.

·        Até mesmo quando a autovaloração e consequente arrogância não estão nas alturas, costumam identificar esse mal.

Ora, vários desses sintomas são comuns a outros quadros! Anemia, deficiência de certos neurotransmissores, tristeza (como a perda de entes queridos), personas (posturas vivenciais que dão vantagens), situações existenciais difíceis e outros quadros requerem recursos diferentes, certo? Mas se todos estes quadros se confundem e cada terapia e mesmo a Medicina costuma ter apenas um conjunto de recursos para todos estes casos, podemos esperar eficácia maior em alguns casos e fracasso em outros.

Dá para entender a confusão: dá certa vantagem e rendimento ao terapeuta. Considerando que tudo que incomoda é depressão, eu, como profissional que trato disto, posso tratar todos esses quadros (e faturar trabalho, destaque ou numerário mesmo).

Ah tá, sempre têm os terapeutas que afirmam eu não penso assim... Sim, claro, entendo. Então diga-me: quantos quadros diferentes são chamados de depressão, e quais as diferenças? Antes de ler o segundo texto: quais as diferenças entre depressão, tristeza, estresse, ansiedade, fadiga e esgotamento psicológico? Pois é, tenho certeza que todo terapeuta faz o melhor que pode, mas também percebo que quase todos confundem os vários tipos de depressão. Nem imaginam que são quadros diferentes sob o mesmo título.

Dessa forma considero a definição do que seja depressão como primeiro passo no tratamento da depressão. Até para podermos confirmar o sintoma e definirmos as terapêuticas.

Conceito de depressão

Depressão tem esse nome porque se refere à depressão do sistema nervoso. Nossos neurônios são como um sistema elétrico - passa uma corrente elétrica pelos nossos neurônios. Algo em torno de 0,06 volts. Nossas tomadas domésticas funcionam com 110 ou 220 v enquanto que nossos neurônios com 0,06 v. Há também os neurônios químicos (que são acionados por produtos). Depressão consiste nos quadros em que essa transmissão é insuficiente, há uma depressão dessa voltagem e, consequentemente, redução na sensação. Depressão é algo que tira a sensação, que reduz a sensibilidade neurológica.

Saboreia-se um alimento e simplesmente o sabor não é naturalmente sentido, há uma redução do sabor. Olha-se o que se gosta e a sensação de prazer não é sentida. Ouve-se a música preferida, e nada. É um mal-estar, um viver uma vida reduzida, tipo fora do ar.

Depressão então é isto: um sentir reduzido, um viver reduzido, um amar reduzido, enfim, um quadro em que os nossos sentidos estão reduzidos. E há vários motivos e sistemas que podem nos levar a este quadro.

Tristeza x Depressão

Vamos diferenciar, inicialmente, tristeza e depressão, já que esta é uma das mais tolas confusões.

Tristeza é algo que sentimos. Dói e muito. Já velou algum ente querido? Já amargurou o fracasso de um projeto que durou anos?  Já perdeu um grande amor? Já viu um ente querido com fome sem ter condições de lhe comprar o alimento? Então você já sabe: tristeza dói. Tristeza é um sentimento forte, intenso e dolorido. Isto prejudica o funcionamento do organismo e certamente é patológico. Mas tristeza e depressão são coisas bem diferentes! Um, você sente e o outro, você quase não sente.

Simples, por que a confusão?

Estresse e esgotamento

Em outro momento (texto) já diferenciei estresse de esgotamento e ambos de depressão, mesmo que um desses quadros possa levar ao outro. Achei desnecessário repetir aqui as justificativas, bastando relembrar os conceitos.

Esgotamento físico ou mental como a fase em que o esforço físico ou mental respectivamente exaure nutrientes e hormônios necessários ao equilíbrio do organismo. Com uma pequena fase de descanso, recuperação de nutrientes e atividades saudáveis, a fase passa. Nada que umas férias curtas e tranquilas não consigam debelar.

Estresse como o quadro em que, devido à sensação de ameaça, os hormônios produzidos pelo SNA (simpático) afeta e desequilibra o organismo. Não há a necessidade de atividade física ou mental para tanto, como no caso dos esgotamentos. No caso de estresse há excesso de hormônios como corticoides, nor-adrenalina e dopamina, diferente do quadro de esgotamento em que há, predominantemente, falta de nutrientes. Simples, não?

Ora, só o fato de identificarmos estas diferenças, já podemos prever tratamentos bem diferentes a cada um desses quadros. Então porque as terapias prescrevem o mesmo tratamento a todos sob o título depressão?

Continua em: a depressão boa pra saúde.

 


Contato – peça mais informações ou para ser informado dos próximos textos: [email protected] ou (21) 99187-3020 (oi com WhatsApp).

Para voltar à relação de textos Reflexões para a Saúde.

Site do IBTED. Sobre cursos, textos, vídeos, produtos e outras informações.

IBTED Cursos, Vídeos, Produtos, Editora e Terapias

Contato: (21) 99187-3020 (OI + Whatsapp) - 98250-0538 (TIM) - [email protected] 

Sociais: facebook/ibted   -  facebook/robertohaddad.ibted